Tribuna Livre

Luiz Philippe Torelly

A imprensa sindical teve desde os seus primórdios, um papel fundamental na organização dos trabalhadores e na luta por melhores salários e condições de trabalho. Surgida nas duas primeiras décadas do século XX, teve entre seus principais protagonistas, Edgard Leuenroth, anarquista e gráfico, fundador de “A Plebe”, um dos primeiros jornais a defender exclusivamente os direitos dos trabalhadores.

A partir da década de 30 com a crescente industrialização, os sindicatos surgem nas grandes cidades e com ele a necessidade de informação e divulgação. A imprensa torna-se um instrumento essencial as lutas da classe trabalhadora. Durante as décadas de 60 e 70 o sindicalismo no Brasil, foi duramente atacado pela ditadura militar. Em resposta a organização política e social dos trabalhadores cresce em todo o país. Na década de 70 surgem os primeiros sindicatos de arquitetos, com objetivo de defender os direitos da categoria, já então majoritariamente assalariada. Em 1980 é fundado o Sindicato dos Arquitetos do DF, na esteira de um movimento social que mobilizou todo o país.

A criação de um instrumento de comunicação com a categoria, foi vista como uma prioridade, pois além de estarem dispersos por vários locais de trabalho, havia uma enorme demanda de participação, na definição das políticas públicas de habitação, uso do solo, planejamento urbano e territorial e saneamento. Foi então criado em 1982 o Tribuna Livre, jornal impresso enviado pelo correio a todos os arquitetos e urbanistas do DF. No total, ao longo de 7 anos o jornal teve 10 edições. Parece muito pouco para um prazo tão longo. Só que a época, não existiam os recursos atuais. Era um trabalho árduo, feito nas horas vagas, por alguns abnegados. A pauta era extensa e diversificada: campanha pelo salário mínimo profissional; direitos trabalhistas; defesa dos movimentos sociais de habitação e direito à cidade; papel social dos arquitetos; reforma urbana; acordos coletivos e condições de trabalho.

O Tribuna Livre ficou trinta anos sem circular. Agora queremos voltar para ser um instrumento de defesa dos direitos dos trabalhadores arquitetos e arquitetas, e promover um amplo debate sobre as questões fundamentais de nossa profissão: habitação, planejamento urbano e territorial, transportes coletivos, arte e patrimônio cultural, exclusão e segregação social. Se você tem propostas,denúncias, artigos, sugestões, envie para nós. Juntos podemos fazer uma imprensa livre, que contribua para a melhoria da nossa cidade e do Brasil. Vamos construir juntos a nova Tribuna Livre.