Sobre

O ARQUITETOS-DF (Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas do Distrito Federal) possui 35 anos de existência. Foi fundado em 1980 como Associação de Arquitetos do DF, sendo posteriormente transformado em sindicato em 1982 (DRT/DF, sob n°46206-141 37/2005-59). O ARQUITETOS-DF e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo – CAU-DF são as duas estruturas com base legal que garantem a regulamentação da profissão do Arquiteto e Urbanista em nosso país. O ARQUITETOS-DF ainda orgulha-se de ser um dos fundadores da Central Única dos Trabalhadores do DF – CUT-DF, a maior central sindical da américa latina.

A atual estrutura sindical dos Arquitetos e Urbanistas no Brasil é formada pelos sindicatos nos Estados e pela Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas – FNA, que é vinculada por determinação legal à Confederação Nacional das Profissionais Liberais – CNPL. As ações da FNA devem buscar o aprimoramento e a manutenção da regulamentação de nossa profissão, incluindo a formação e a reestruturação dos sindicatos.

Estas ações de reforço da representação dos arquitetos fazem a parte de uma estratégia a nível nacional, juntamente à Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo – ABEA , Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas – ABAP e Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB, para que os Arquitetos e Urbanistas busquem sua identidade.

São prerrogativas do Sindicato:

  • Representar perante as autoridades administrativas e judiciais, os interesses gerais de sua categoria ou os interesses gerais de seus associados;
  • Celebrar contratos coletivos de trabalho;
  • Eleger ou designar os representantes da respectiva categoria;
  • Colaborar com o Estado, como órgão técnico e consultivo, no estudo e solução dos problemas que se relacionem com sua categoria;
  • Impor contribuições a todos àqueles que participarem da categoria representada, nos termos da legislação vigente;
  • Fundar e manter agência de colocação.

São deveres do Sindicato:

  • Colaborar com os poderes públicos no desenvolvimento da solidariedade social;
  • Manter serviços de assistência judiciária para os associados e, na Justiça do Trabalho, para todos os integrantes da categoria;
  • Promover a conciliação nos dissídios de trabalho;
  • Promover a fundação de cooperativas de consumo e de crédito;
  • Fundar e manter escolas, especialmente de ensino/técnico-profissional e cursos de aperfeiçoamento e complementares de especialização;
  • Prestar serviços de natureza técnica e social aos seus associados, como:
    • Fundar bibliotecas especializadas;
    • Organizar congressos e conferencias;
    • Organizar a promoção de bolsas de estudo.